Pela gama de ideias em relação ao feminismo que tenho visto nas redes sociais, conversas com outras mulheres, ou mesmo leituras de feministas que fiz,  percebo que muitas pessoas têm uma visão embaçada de onde o cristianismo se coloca em toda essa discussão, e portanto, acabam colocando-o como o grande vilão produtor de machistas e opressores.

Nada mais coerente do que uma mulher que vive (ou tenta) o cristianismo no seu dia-a-dia para falar sobre o assunto com clareza.

CRISTIANISMO E MACHISMO

Entendo que boa parte da associação do cristianismo ao machismo se dá, principalmente, pelo mandamento bíblico de que esposas devem ser submissas aos seus maridos (Efésios 5:22). E sim! Isto está escrito na Bíblia! Não pretendo esconder, distorcer ou tirar algo que está lá para tentar convencer ninguém. Mas o por quê de tudo isso? A resposta está no restante do capítulo.

No plano traçado por Deus para a construção da sociedade, esta seria formada por famílias unidas pelos laços do matrimônio, e o matrimônio é, na realidade, uma figura, alegoria ou reflexo de uma relação espiritual. A mulher representa a Igreja (Pessoas que foram redimidas pelo sacrifício de Cristo) e o homem representa Cristo (Efésios 5:25).

Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. (Efésios 5:25-28)

A submissão é traduzida como respeito, obediência voluntária e docilidade. Não, moça! Deus não está pedindo que você entre em um relacionamento abusivo, abra mão de suas vontades para se submeter a fetiches de um opressor. Deus está pedindo que você respeite um homem que deve ter a capacidade e coragem de entregar a vida pela esposa, seguindo o exemplo de Cristo que o fez por amor a humanidade, com humildade e servidão. Deus a está chamando para uma relação de amor e respeito, personificados nas figuras masculina e feminina, respectivamente. [“Pamella, mas o meu namorado não está disposto a isso!” Então, um dos pilares da figura está quebrado. Saia desse relacionamento correndo!!!]

Um detalhe importante é que, independente dos papéis de marido e mulher, a ordenança é deixada a todos os cristãos no verso abaixo:

 Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo. (Efésios 5:21)

A ordem de servir é dada a todos os cristãos. Então, se de fato, você não gosta de servir a todas as pessoas, demonstrar humildade e submissão independente do sexo e classe social, o cristianismo, de fato, é a religião errada para você.

Tudo isso está personificado no valor de ser homem e no valor de ser mulher, e para Deus diferença não significa inferioridade (Talvez em nossa sociedade), mas sim, complementariedade. Jesus Cristo não tinha a menor intenção de extingui-la, mas de respeitar a individualidade e peculiaridade das pessoas, celebrando a igualdade de valor diante de Deus nas diferenças.

JESUS CRISTO E AS MULHERES

Jesus Cristo mostrou o valor das mulheres publicamente e dispensou liberdade e misericórdia em uma sociedade predominantemente patriarcal como a sociedade judaica no Novo Testamento. E Jesus fez isso de uma forma extremamente radical para a época:

  • Mateus 1:18 – Jesus foi concebido pelo Espírito Santo por uma mulher, jovem e que ainda não havia se casado, correndo sério risco de ser apedrejada.
  • Lucas 8:3 – Jesus era sustentado financeiramente por mulheres, o que era uma vergonha para o patriarcado;
  • Lucas 8:1-2 – Jesus confrontou a época permitindo que mulheres fossem suas discípulas;
  • João 4: 17-18 – Jesus ofereceu salvação a uma mulher rejeitada por estar no seu 5º divórcio, e permitiu que ela pregasse o evangelho quando as mulheres não tinham voz;
  • João 8:4-7 – Jesus libertou prostitutas da morte, mostrando que os valores sexuais morais são os mesmos para ambos os sexos;
  • João 20:11-18 – As primeiras pessoas que viram Jesus ressuscitado foram mulheres;

Entre outras inúmeras lições que Jesus Cristo ensinou através de mulheres, independente de suas classes sociais, nos ensinando o valor de todas as pessoas como seres humanos. Jesus dá a nós mulheres (e a todos) a liberdade dos grilhões, algemas, estereótipos, da vergonha, do passado e até de nós mesmos. NEle temos a certeza de uma identidade como imagem de Deus. O ser mulher em sua singularidade e essencialidade. O que é ser mulher afinal? (Eu não vou responder, vocês que respondam hahaha)

CRISTÃOS NOTÁVEIS E A LUTA EM FAVOR DAS MULHERES

Ao contrário do que se é divulgado, os cristãos estiveram sim, atuante na busca dos direitos das mulheres (às vezes acertando, às vezes errando). O cristianismo se distanciou do feminismo durante a 3º onda, onde a reivindicação de valores anti-cristãos entraram em pauta (Não é objetivo discuti-los agora).

Como exemplo, podemos citar a conhecida convenção de Seneca Falls da “Declaração dos Sentimentos da Mulher” que debatia temas como salários equitativos, acesso à
universidades e profissões restritas ao sexo masculino. A convenção foi realizada dentro de uma igreja Metodista Wesleyana.

E por que não falar de Susan B. Anthony cristã presa por votar nos EUA, em que, atualmente, a ementa que permite o voto feminino é batizada com seu nome. Ou Elizabeth Dickinson que foi a primeira mulher a fazer um discurso político no congresso americano, abolicionista e sufragista. E por fim, Lucy Stone, primeira mulher a se graduar em Massachusetts, e a fazer um discurso pelos direitos femininos também em uma igreja.

Vamos encerrar com a resposta de Augustus Nicodemus para a pergunta: “Um cristão pode ser feminista?” “Depende, ué!” (o ué é meu) Se ser feminista é lutar pelos direitos de igualdade entre homens e mulheres, então sim! Cristãos são feministas. Mas se ser feminista envolve lutar por valores não-cristãos, então não!

Atualmente, as pessoas associam submissão a dominação, opressão e outros tipos de abuso. E sim, é claro que existem os que utilizam do texto bíblico de acordo com a conveniência para justificar abusos às suas companheiras. Mas a falha desses homens não é necessariamente falha do cristianismo em si. É certo que machismo não é a ideia de Deus para a sociedade, e está longe de ser. MACHISMO É PECADO! Mas também seria um pecado muito grande desafirmar diferenças, papéis e estruturas em um Deus que se manifesta de tantas formas! 🙂

Anúncios