Todos os direitos autorais de imagem pertencem a Summit Entertainment.

City of Stars – Pasek and Paul

Cidade das estrelas/ Você está brilhando apenas para mim?/ Cidade das estrelas/ Há tanto que não consigo enxergar/ Quem sabe?/ Eu senti desde o primeiro abraço que te dei/ Que agora nossos sonhos/ Eles finalmente se realizaram/

Cidade das estrelas/ Apenas uma coisa que todos querem/ Ali nos bares/ E através da névoa dos restaurantes cheios/ É o amor Sim, estamos todos procurando pelo o amor de outra pessoa/ Uma adrenalina/ Um olhar/ Um toque/ Uma dança/

A expressão nos olhos de alguém/ Para iluminar os céus/ Para abrir o mundo e fazê-lo dançar/ Uma voz que diga, eu estarei aqui/ E você ficará bem/ Eu não ligo se sei/ Para onde eu irei/ Pois tudo o que eu preciso é desse sentimento louco/ Um turu-turu-turu no meu coração/ Acho que quero que isso permaneça/

Cidade das estrelas/ Você está brilhando apenas para mim?/ Cidade das estrelas/ Você nunca brilhou tanto/

Há quem ache que “La La Land – Cantando Estações” tenha sido superestimado demais, e há quem o tenha amado! Em meio a essas divergências de opiniões, acredito (e posso estar equivocada) que o sucesso feito pelo filme se dá justamente a isso: O não haver nada de surpreendente.

Sem enredo mirabolante, ou acontecimentos inesperados, o filme trouxe de volta o velho e bom romance clichê, no entanto, representou brilhantemente o amor em sua pureza e simplicidade: A primeira vez que as mãos se tocam, as coisas simples do cotidiano que nos lembram o parceiro (Como uma buzinada característica hauhaua), o conhecer os gostos e ter nossos gostos moldados também, e até as implicâncias básicas.

“City of Stars” uma das músicas mais importantes, cantada diversas vezes em situações diferentes, me chamou particularmente a atenção: “Apenas uma coisa que todos querem/ Ali nos bares/ E através da névoa dos restaurantes cheios/ É o amor Sim, estamos todos procurando pelo o amor de outra pessoa”

Em um primeiro julgamento superficial, eu discordei: “Não estamos todos à procura do amor de alguém, não!” Alguns querem apenas um carnaval, outros realização profissional, as pessoas querem coisas diferentes.

…Coisas diferentes, todas faces da mesma moeda… Todos estamos a procura do amor, sim. No entanto, o buscamos com diferentes nomes: Cirurgia estética, namoro, profissão dos sonhos, automóvel novo. E até nossas vaidades para “autorrealização” são, na realidade, formas de nos projetarmos bem através das lentes de outrem.

Tudo isso para alcançar um pequeno espaço no coração dos homens, procuramos aceitação por alguém, razão para viver, procuramos algo que tape nosso buraco existencial. Procuramos: Deus.

Estamos todos a procura do amor de alguém (City of Stars – Pasek and Paul)

Assim, existe em nós um mundo de amor por algo, embora não tenhamos a menor ideia do que seja. (Traherne)

Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade, mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez. (Eclesiastes 3:11)

O alguém a quem estamos procurando é Deus, embora achemos que muitos amores terrenos possam suprir a falta que Ele nos faz. E apesar de nunca satisfeitos com o que conseguimos, criamos nossos ídolos, algo em que possamos chamar: “Este é meu amor!”

Fizemos para nós inúmeras religiões, apontando inconscientemente, que estamos constantemente tentando retornar ao Primeiro Amor, sem saber ao certo como. Buscamos refazer o relacionamento que foi quebrado, e deixou um buraco em nós que nenhum desses amores consegue tapar.

E o amor de filme? É só de filme. Se um dia o encontrarmos para o vivermos intensamente, que sorte a nossa, não? No entanto, essa união linda e passageira, não se compara ao nosso anseio por nossa união eterna com o único que foi capaz de restaurar o relacionamento, a fim de nos levar de volta para casa. E Ele diz: “Eu estarei aqui e você ficará bem.” Cidade das estrelas, você nunca brilhou tanto!

Anúncios