Entrei na Universidade Federal do Pará (UFPA) com a certeza de que teria muitas experiências, e quem sabe, eu realmente buscasse isso na época. É um momento de muitas expectativas, e também de muita vulnerabilidade (“fala sério, Pamella”), é sim. É muito fácil o jovem, que entra como uma esponja, se perder pelo caminho, e não sei o que isso significa pra você: Talvez signifique sucumbir às drogas sem retorno, ou perder um amigo naquilo que devia ser só mais uma brincadeira radical, mas, para mim, o significado foi muito mais sutil: Eu perdi meu objetivo. Minha profissão nunca foi um fim em si mesma na minha concepção de vida. Desde meus 16 anos, queria que minha profissão fosse utilizada para mudar meu contexto local, e ao escolher um curso da área de Ciências Exatas e Naturais (Química) bateu a primeira crise:

Como é que um curso de exatas pode mudar meu contexto? Acho que fiz a escolha errada, acho que nada disso faz sentido.

       A segunda situação que me veio de encontro foi que dentro desse contexto em que você recebe um conceito para tudo, é avaliado pelas notas, mérito pessoal, quantidade de publicações (e por aí vai…), o reconhecimento humano e o desempenho acadêmico me seduziram mais do que minha própria felicidade. Não que eu não quisesse minha estabilidade financeira (estamos trabalhando para isso, né?), mas meu objetivo original foi sufocado, sucumbiu aos falsos deuses da modernidade.

        No entanto, não posso deixar de dizer que dentro da universidade tive experiências incríveis, e que me ensinaram para a vida em vários aspectos, e é em um desses aspectos que entra a Cru Campus. A Cru Campus é o movimento estudantil que me ajudou a sentir-me verdadeiramente vocacionada em minha profissão, que apesar de ter a tendência para a insensibilidade (números e átomos o dia todo), no final das contas, tudo é sobre pessoas. Com essa galera pude perceber que sou mais feliz fazendo o que faço, quando isto está em segundo plano. Sim, hoje sou bacharel em Química Industrial, mas antes disso, sou bacharel da vida! haha Eu consigo administrar melhor os altos e baixos, ou crises profissionais, porque minha identidade não se resume a minha profissão, mas está alicerçada em algo mais sólido: Meu relacionamento com Deus através de Jesus Cristo.

E talvez muitos jovens entrem na universidade procurando isso mesmo: Uma identidade. Algo em que possam dizer: “Eu sou…”.

         A Cru Campus é um movimento estudantil internacional e interdenominacional que acredita que a maior aventura que um jovem pode viver na universidade é conhecer a Deus e fazê-lo conhecido, temos como lema: “Até que cada estudante conheça alguém que verdadeiramente segue a Cristo”. Quero continuar fazendo isso! Fazemos intervenções como evangelismo e discipulado, prevenção ao suicídio, conscientização sobre justiça e corrupção, intervenções artísticas, entre outras ações. Mas também acreditamos que esse trabalho não pode ser feito apenas por uma mão, mas é um trabalho de todos. É por isso que fazemos o convite para que você possa contribuir financeiramente com nossa missão. Você gostaria de considerar contribuir com algo tão importante para mim?

informativo_AGORA

 

Anúncios